Rádio

Como funciona o rádio

Introdução

As "ondas de rádio" transmitem músicas, conversas, fotos e dados através do ar, de maneira invisível, geralmente por milhões de quilômetros. Embora as ondas de rádio sejam invisíveis e completamente indetectáveis pelos humanos, elas mudaram totalmente a sociedade. Não importa se estamos falando sobre um telefone celular, um monitor de bebê, um telefone sem fio ou qualquer das outras milhares de tecnologias sem fio: todas elas usam ondas de rádio para comunicar.

Aqui estão apenas algumas das tecnologias do dia-a-dia que dependem das ondas de rádio:

* transmissões de rádio AM e FM
* telefones sem fio
* portões automáticos de garagem
* redes sem fio
* brinquedos controlados por rádio
* transmissões de TV
* telefones celulares
* receptores GPS
* radioamadores
* comunicações por satélite
* rádios da polícia
* relógios sem fio (em inglês)

Radares e fornos de microondas também dependem de ondas de rádio. Satélites de comunicação e navegação seriam impossíveis sem as ondas de rádio, como também a aviação moderna. Um avião depende de uma dúzia de sistemas de rádio diferentes. A tendência atual em direção ao acesso à Internet sem fio é também usar o rádio. Isso significa muito mais conveniência no futuro.

O engraçado é que o rádio é uma tecnologia incrivelmente simples. Apenas com alguns componentes eletrônicos que custam, no máximo, um ou dois dólares, você pode construir transmissores e receptores de rádio. A história sobre como algo tão simples tornou-se uma tecnologia fundamental do mundo moderno é fascinante!

Neste artigo, vamos explorar a tecnologia do rádio para você poder entender completamente como ondas de rádio invisíveis tornam tantas coisas possíveis.

O rádio mais simples

O rádio pode ser extremamente simples. Por volta da virada do século, essa simplicidade possibilitou a quase todos os primeiros experimentos. Como ele é tão simples? Aqui está um exemplo:

* pegue uma bateria nova de 9 volts e uma moeda
* pegue um rádio AM e sintonize em uma área do dial (indicador de estações) em que você ouça um ruído
* agora segure a bateria perto da antena e rapidamente ligue os dois terminais da bateria com a moeda (conectando-os por um instante)
* você vai ouvir um estalo no rádio que é causado pela conexão e desconexão da moeda

Ligando os terminais de uma bateria de 9 volts, você consegue criar ondas de rádio que um rádio AM consegue receber

Sua combinação de moeda com bateria é um transmissor de rádio. Ele não está transmitindo nada útil (somente ruído) e não vai transmitir muito longe (apenas uns poucos metros, porque não está otimizado para distâncias). Mas se você usar o ruído para enviar código Morse, de fato, conseguirá se comunicar por vários metros com este rudimentar dispositivo!

Um rádio (ligeiramente) mais elaborado

Se você quiser algo um pouco mais elaborado, use uma lixa de metal e dois pedaços de arame. Conecte uma ponta da lixa a um terminal da bateria de 9 volts. Conecte o outro pedaço de arame ao outro terminal da bateria e percorra, com a extremidade livre deste arame para cima e para baixo da lixa. Se fizer isso no escuro, você conseguirá ver pequenas faíscas de 9 volts correndo ao longo da lixa conforme a ponta do arame se conecta e se desconecta às arestas da lixa. Segure a lixa próxima a um rádio AM e você ouvirá muito ruído.

Nos primórdios do rádio, os transmissores eram chamados de indutores de faíscas (em inglês) e criavam uma corrente contínua de faíscas a voltagens muito mais altas (por exemplo, 20 mil volts). A alta voltagem criava grandes faíscas como as que você vê em uma vela de ignição e elas conseguiam transmitir a distâncias maiores. Hoje, um transmissor como esse é ilegal porque atravessa o espectro de radiofreqüência inteiro, mas antigamente funcionava bem e era muito comum porque não havia muitas pessoas usando ondas de rádio.

Os fundamentos do rádio: as partes

Conforme foi visto na seção anterior, é incrivelmente fácil transmitir com ruído. Contudo, todos os rádios hoje usam ondas senoidais contínuas para transmitir informação (áudio, vídeo, dados). A razão pela qual hoje usamos ondas senoidais contínuas hoje é porque há muitas pessoas e aparelhos diferentes que querem usar ondas de rádio ao mesmo tempo. Se houvesse como vê-las, você descobriria que há literalmente milhares de ondas de rádio diferentes (na forma de ondas senoidais) ao seu redor neste momento: transmissões de TV, transmissões de rádio AM e FM, rádios da polícia e dos bombeiros, transmissões de TV por satélite, conversas por celular, sinais de GPS e assim por diante. É incrível a quantidade de utilizações para as ondas de rádio atualmente (veja Como funcionam as ondas de rádio para ter uma idéia). Cada sinal de rádio diferente, usa uma freqüência de onda senoidal diferente e é, dessa forma, que os sinais são todos separados.

Qualquer estrutura de rádio tem duas peças:

* o transmissor
* o receptor

O transmissor obtém um tipo de mensagem (pode ser o som da voz de alguém, imagens para um aparelho de TV, dados para um modem de rádio ou o que quer que seja), a codifica em uma onda senoidal e a transmite por meio de ondas de rádio. O receptor recebe as ondas de rádio e decodifica a mensagem das ondas senoidais recebidas. Tanto o transmissor quanto o receptor usam antenas para irradiar e captar o sinal de rádio.

Os fundamentos do rádio: exemplos da vida real

Uma babá eletrônica é um dos exemplos mais simples da tecnologia de rádio. Há um transmissor que fica no quarto do bebê e um receptor que os pais usam para escutá-lo. Aqui estão algumas das características importantes de uma babá eletrônica.

* modulação: amplitude modulada (AM)
* faixa de freqüência: 49 MHz
* número de freqüências: 1 ou 2
* potência do transmissor: 0,25 watts

(Não se preocupe se termos como "modulação" e "freqüência" não fizerem sentido agora, já, já, falaremos deles.)

Uma babá eletrônica, com o receptor à esquerda e o transmissor à direita: o transmissor fica no quarto do bebê e é essencialmente uma mini "estação de rádio". Os pais carregam o receptor pela casa para ouvir o bebê. A distância de transmissão está limitada a 61 metros.

O telefone celular também é um rádio e um aparelho muito mais sofisticado (veja Como funcionam os telefones celulares para mais detalhes). O aparelho celular contém tanto um transmissor quanto um receptor, podendo usar ambos simultaneamente. O celular pode entender centenas de freqüências diferentes e pode mudar automaticamente entre as freqüências. Aqui estão algumas das características importantes de um telefone celular analógico típico:

* modulação: freqüência modulada (FM)
* faixa de freqüência: 800 MHz
* número de freqüências: 1664 (832 por provedor, dois provedores por área)
* potência do transmissor: 3 watts

Um telefone celular comum contém tanto um transmissor quanto um receptor e ambos operam simultaneamente em freqüências diferentes. O telefone celular se comunica com uma torre de celular e consegue transmitir a uma distância de 3 a 5 km.

Transmissores simples

Você pode ter uma idéia de como um transmissor de rádio funciona começando com uma bateria e um pedaço de fio elétrico. Em Como funcionam os eletroímãs, você entende que a bateria envia eletricidade (uma corrente de elétrons) através de um fio elétrico se você conectá-lo entre os terminais dela. Os elétrons em movimento criam um campo magnético ao redor do fio. Esse campo é forte o suficiente para afetar uma bússola.

radio1.gif

Digamos que você pegue um outro fio elétrico e o coloque paralelo ao fio da bateria, mas a uns 5 cm de distância. Se conectar um voltímetro muito sensível a este outro fio, vai acontecer o seguinte: toda vez que conectar ou desconectar o primeiro fio da bateria, vai sentir uma voltagem e uma corrente muito pequena no segundo fio. Qualquer campo magnético mutante pode induzir um campo elétrico em um condutor: este é o princípio básico por trás de qualquer gerador elétrico. Então:

* a bateria cria fluxo de elétrons no primeiro fio
* os elétrons em movimento criam um campo magnético ao redor do fio
* o campo magnético estende-se até o segundo fio
* os elétrons começam a fluir no segundo fio toda vez que o campo magnético no primeiro fio muda

radio2.gif

Uma coisa importante para notar é que os elétrons fluem no segundo fio somente quando você conecta ou desconecta a bateria. O campo magnético não faz com que os elétrons fluam no fio a menos que o campo magnético esteja variando. Conectar e desconectar a bateria muda o campo magnético (conectar a bateria ao fio cria o campo magnético, enquanto desconectá-la anula o campo). Os elétrons fluem no segundo fio nesses dois momentos.

Transmissores simples: faça o seu

Para criar um transmissor de rádio simples, você precisa criar uma corrente elétrica que mude com rapidez em um fio. Você pode fazer isso conectando e desconectando a bateria bem rápido, assim:

radio3.gif

Quando você conecta a bateria, a voltagem no fio é de 1,5 volts e quando a desconecta, a voltagem é de zero volt. Conectando e desconectando a bateria bem rápido, você cria uma onda quadrada que oscila entre 0 e 1,5 volts.

Uma maneira melhor é criar uma corrente elétrica que varie continuamente no fio. A forma mais simples (e mais fácil) de onda que varia continuamente é a onda senoidal, como mostrado abaixo:

radio4.gif

Criando uma onda senoidal e fazendo-a percorrer através do fio, você cria um transmissor de rádio simples. É extremamente fácil criar uma onda senoidal com apenas alguns componentes eletrônicos: um capacitor e um indutor podem criar uma onda senoidal e alguns transistores podem amplificar a onda em um sinal poderoso (veja Como funcionam os osciladores para mais detalhes, e aqui (em inglês) está um diagrama simples de transmissor). Enviando esse sinal para uma antena, você pode transmitir a onda senoidal para o espaço.

Freqüência

Uma característica da onda senoidal é a freqüência. A freqüência de uma onda senoidal é o número de vezes que ela oscila para cima e para baixo por segundo. Quando você ouve uma transmissão de rádio AM, o rádio está sintonizado em uma onda senoidal com uma freqüência de cerca de 1 milhão de ciclos por segundo (ciclos por segundo também são conhecidos como hertz). Por exemplo, 680 no dial AM significa 680 mil ciclos por segundo. Sinais de rádio FM operando na faixa de 100 milhões de hertz. 101,5 no dial FM significa um transmissor que gera uma onda senoidal a 101.500.000 ciclos por segundo. Veja Como funcionam as ondas de rárioComo funcionam as ondas de rádio para mais detalhes.

Transmitindo informações

Se você tiver um transmissor transmitindo uma onda senoidal para o espaço com uma antena, você tem uma estação de rádio. O único problema é que a onda seno não contém qualquer informação. Você precisa modular a onda de algum modo para codificar informações nela. Há três maneiras comuns de modular uma onda senoidal.

  • Modulação por pulso. Na PM (modulação por pulso), você simplesmente liga e desliga a onda senoidal. Esta é uma maneira fácil de enviar código Morse. A PM não é tão comum, mas um bom exemplo dela é o sistema de rádio que envia sinal para relógios controlados por rádio (em inglês) nos Estados Unidos. Um transmissor de PM é capaz de cobrir todos os Estados Unidos.
radio5.gif
  • Amplitude modulada. Estações de rádio AM e imagens de um sinal de TV usam amplitude modulada para codificar informações. Na amplitude modulada, a amplitude da onda senoidal (sua voltagem pico-a-pico) muda. Por exemplo, a onda senoidal produzida pela voz da pessoa é colocada sobre a onda senoidal do transmissor para variar sua amplitude.
radio.gif
  • Freqüência modulada. Estações de rádio FM e centenas de outras tecnologias sem fio (incluindo o som de um sinal de TV, telefones sem fio, telefones celulares, etc.) usam freqüência modulada. A vantagem da FM é que é amplamente imune o ruído. Na FM, a freqüência da onda senoidal do transmissor muda muito ligeiramente baseada no sinal da informações.
radio6.gif

Uma vez que você modula uma onda seno com informações, você pode transmitir estas informações.

Recebendo um sinal AM

Aqui está um exemplo do mundo real. Quando você sintoniza o rádio AM do seu carro em uma estação (por exemplo, 680 no dial AM), a onda senoidal do transmissor está transmitindo a 680 mil hertz (a onda senoidal se repete 680 mil vezes por segundo). A maneira de modular a voz do DJ nessa onda portadora é variar a amplitude da onda seno do transmissor. Numa estação AM grande um amplificador amplifica o sinal para algo perto de 50 mil watts. Então a antena envia as ondas do rádio para o espaço.

Dessa forma, o rádio AM do seu carro (um receptor) recebe o sinal de 680 mil hertz que o transmissor enviou e extrai dele as informações (a voz do DJ)? Aqui estão as etapas:

radio7.gif

* a menos que você esteja sentado bem ao lado do transmissor, o receptor do seu rádio vai precisar de uma antena para ajudá-lo a captar as ondas de rádio do transmissor. Uma antena AM é simplesmente uma haste de arame ou metal que aumenta a quantidade de metal com que as ondas do transmissor podem interagir;

* o receptor do seu rádio precisa de um sintonizador. A antena vai receber milhares de ondas senoidal. O trabalho do sintonizador é separar uma onda senoidal de milhares de sinais de rádio que a antena recebe. Nesse caso, o sintonizador é ajustado para receber o sinal de 680 mil hertz;

Os sintonizadores funcionam usando um princípio chamado ressonância. Isto é, os sintonizadores ressoam e amplificam uma freqüência específica e ignoram todas as outras freqüências no ar. É fácil criar um ressonador com um capacitor e um indutor (veja Como funcionam os osciladores para ver como os indutores e capacitores funcionam juntos para criar um sintonizador).

* o sintonizador faz com que o rádio receba somente uma freqüência de onda senoidal (nesse caso, 680 mil hertz). Agora o rádio tem de extrair a voz do DJ da onda senoidal. Isto é feito com uma parte do rádio chamada detector ou demodulador. No caso de um rádio AM, o detector é feito com um componente eletrônico chamado diodo. O diodo permite que a corrente flua em uma direção, mas não em outra, cortando um lado da onda, deste modo:

radio8.gif

* o rádio então amplifica o sinal cortado e o envia para os alto-falantes (ou um fone de ouvido). O amplificador é feito de um ou mais transistores (mais transistores significa mais amplificação e, portanto, mais potência para os alto-falantes).

O que você ouve saindo dos alto-falantes é a voz do DJ.

Em um rádio FM, o detector é diferente, mas o resto é igual. Em recepção FM, o detector transforma as mudanças na freqüência em som. A antena, sintonizador e amplificador são os mesmos.

O receptor AM mais simples
No caso de um sinal AM forte, você pode criar um receptor de rádio simples com apenas duas peças e um fio. O processo é extremamente simples. Veja o que você precisará:

* um diodo. diodo;
* dois pedaços de fio.
* uma pequena estaca de metal que você pode enfiar dentro da terra (ou se o transmissor tiver um trilho de proteção ou cerca de metal próxima, você pode usá-los);
* um fone de ouvido de cristal.

Você precisa agora encontrar e estar próximo a uma torre de transmissão de uma estação de rádio AM (dentro de um raio de cerca de 1,6 km) para que isso funcione. Aqui está o que fazer:

* coloque a haste de metal dentro da terra ou encontre um poste de metal. Retire o material isolante da extremidade de um pedaço de fio de 3 metros e enrole-o em volta da haste/poste de 5 a 10 vezes para obter uma conexão boa e sólida. Isto é o fio terra;

* conecte o diodo à outra extremidade do fio terra;

* pegue um outro pedaço do fio, de 3 a 6 metros de comprimento, e conecte uma de suas extremidades à outra extremidade do diodo. Este fio é a sua antena. Coloque-o no chão ou pendure-o em uma árvore, mas certifique-se de que a extremidade desencapada não toque o chão;

* conecte o fone de ouvido às extremidades do diodo, assim:

radio9.gif

Agora se você colocar o fone de ouvido na orelha, vai ouvir a estação de rádio: este é o receptor de rádio mais simples possível. Este projeto super simples não vai funcionar se você estiver muito longe da estação, mas realmente demonstra quão simples pode ser um receptor de rádio.

Veja como funciona: sua antena de fio está recebendo todos os tipos de sinais de rádio, mas como você está muito próximo de um transmissor específico, isso não importa muito. O sinal mais próximo cobre os demais por um fator de milhões. Pelo fato de estar tão próximo de um transmissor, a antena também está recebendo muita energia: o suficiente para acionar um fone de ouvido! Portanto, você não precisa de um sintonizador, de baterias ou de qualquer outra coisa. O diodo age como um detector para o sinal AM como foi descrito na seção anterior. Você pode ouvir a estação apesar da falta de um sintonizador e de um amplificador!

O kit de Rádio de Cristal pode conter duas peças extras: um indutor e um capacitor. Essas duas peças criam um sintonizador que dá ao rádio um raio de ação maior. Veja Como funcionam os osciladores para mais detalhes.

Princípios básicos da antena

Você já deve ter notado que quase todo rádio (como o seu telefone celular, o rádio do seu carro, etc.) tem uma antena. As antenas vêm em todos os tamanhos e formas, dependendo da freqüência que estiverem tentando receber. A antena pode ser qualquer coisa, de um longo fio duro (como nas antenas de rádio AM/FM na maioria dos carros) até algo tão bizarro quanto uma antena parabólica. Transmissores de rádio também usam torres de antenas extremamente altas para transmitir seus sinais.

A idéia por trás de uma antena em um transmissor de rádio é lançar ondas de rádio no espaço. Em um receptor, a idéia é receber tanta potência do transmissor quanto for possível e fornecê-la ao sintonizador. Para os satélites que estão a milhões de quilômetros de distância, a NASA (em inglês) usa enormes antenas parabólicas de até 60 metros de diâmetro.

O tamanho ideal de uma antena de rádio está relacionado à freqüência do sinal que ela estiver tentando transmitir ou receber. A razão para essa relação tem a ver com a velocidade da luz e a velocidade com que os elétrons conseguem viajar. A velocidade da luz é de 300 mil quilômetros por segundo. Na próxima página, vamos usar esse número para calcular o tamanho de uma antena de tamanho real.

Antena: exemplos da vida real

Digamos que você está tentando construir uma torre de rádio para uma estação de rádio AM de 680. Ela transmite o sinal senoidal com uma freqüência de 680 mil hertz. Em um ciclo da onda senoidal, o transmissor vai mover os elétrons dentro da antena em uma direção, alternar e puxá-los de volta, alternar e puxá-los para fora e então alternar e movê-los de volta novamente. Em outras palavras, os elétrons vão mudar de direção quatro vezes durante um ciclo da onda seno. Se o transmissor estiver funcionando em 680 mil hertz, isso significa que cada ciclo se completa em (1/680 000) 0 00000147 segundos. Um quarto disto é 0 0000003675 segundos. À velocidade da luz, os elétrons conseguem viajar 0,11 km em 0 0000003675 segundos. Isto significa que o tamanho adequado da antena para um transmissor de 680 mil hertz é de cerca de 110 metros. Estações de rádio AM necessitam de torres muito altas. Para um telefone celular que funciona à 900 MHz, por outro lado, o tamanho favorável de antena é de cerca de 8,3 centímetros. É por isso que os telefones celulares têm antenas pequenas.

Você deve ter notado que uma antena de rádio AM no seu carro não tem 110 metros de comprimento. Se tornasse a antena mais longa ela receberia melhor, mas as estações AM são tão fortes na cidade que, na verdade, não importa se sua antena tem o tamanho ideal.

Você deve imaginar por que, quando um transmissor de rádio transmite algo, as ondas de rádio precisam se propagar da antena através do espaço na velocidade da luz. Por que as ondas de rádio viajam milhões de quilômetros? Por que a antena simplesmente não tem um campo magnético ao seu redor, próximo dela, como um fio anexado à bateria? Uma maneira simples de pensar sobre isso é esta: quando a corrente entra na antena, ela cria um campo magnético ao seu redor. Vimos também que o campo magnético cria um campo elétrico (voltagem e corrente) em outro fio colocado próximo ao transmissor. Acontece que, no espaço, o campo magnético criado pela antena induz um campo elétrico no espaço. Este campo elétrico, por sua vez, induz um outro campo magnético no espaço, que induz um outro campo elétrico, que induz um outro campo magnético, e assim por diante. Estes campos elétricos e magnéticos (campos eletromagnéticos) induzem uns aos outros no espaço à velocidade da luz, viajando para longe da antena.

Para mais informações sobre rádio e assuntos relacionados, confira os links na próxima página.

Montar um rádio:

Introdução

Hoje em dia parece fácil construir um rádio, porém, suponha que você esteja em uma ilha, ou em uma comunidade isolada no deserto onde você não possa comprar as peças para montar um rádio, ou suponha que você seja uma pessoa muito jovem e não tenha dinheiro para investir em componentes novos e caros. Que tipo de rádio podemos construir com todas estas limitações?

A alguns meses atrás, uma revista para adolescentes, recebeu um pedido ao editor para publicar um conjunto de rádio bem simples que qualquer criança pudesse construir, com peças facilmente encontráveis e com riqueza de detalhes.

Tudo isto nos leva a uma pergunta, o que é um rádio simples de montar e também o mais barato possível?

radio10.jpg

Os editores gastaram um tempo considerável pensando, experimentando e apresentaram um circuito de rádio para os novatos montarem. Desta forma, com exceção da válvula, todos os demais componentes são encontrados ou construídos a partir de peças da caixa de sucata da sua residência. Não tivemos a idéia de aperfeiçoar o circuito deste rádio e nem competir com circuitos mais modernos, montados com peças novas. Este circuito é um passatempo que tem por finalidade mostrar a possibilidade de se montar um rádio com o mínimo de peças e deve receber as boas vindas dos jovens de 8 a 80 anos que desejam realizar o impossível com muito pouco. A estas pessoas, dedicamos esta montagem.

Principais requisitos para um Bom RÁDIO:

1. Baixo custo com peças.
2. Boa seletividade, suficiente para separar estações locais mais fortes contudo com boa sensibilidade para oferecer ao novato a emoção de poder captar estações distantes ( DX ).
3. Fácil de construir e operar
4. Econômico na utilização.

Usando seu conhecimento, sensibilidade, engenhosidade e imaginação, com pouco dinheiro qualquer pessoa pode construir este rádio.

COMO COMEÇAR

Vamos iniciar a montagem por partes, ( uma etapa por vez ) começando pela base de madeira que deve ter aproximadamente entre 15 cm X 35 cm. e 20 cm X 50 cm.
Faça o acabamento usando lixa e posteriormente verniz para madeira, guardando a base em local ventilado para secar.
Para facilitar a montagem deste rádio, prepare um desenho sobre uma cartolina, em tamanho natural, das peças com sua posição sobre a base que você confeccionou. Este procedimento facilitará consideravelmente quando for fazer a ligação dos diversos componentes.

radio11.jpg

Para a montagem dos capacitores, não se assuste, os mesmos são montados com papel alumínio e papel vegetal ( usado em desenho ) ou outro papel resistente. Papel de cigarro aluminisado também serve.
Alise as folhas de alumínio em uma superfície plana com as pontas dos dedos. Corte seis partes, cada uma com 2,5 cm 6 cm com uma aba de 2 cm X 1 cm como mostrado na Fig. "2A" Corte oito partes do papel vegetal com 5 cm X 4 cm .
Para fazer o condensador de grade, coloque um pedaço do papel vegetal na base de madeira (posicionado na parte central frontal da base), coloque então um pedaço de papel alumínio sobre o papel vegetal com a aba para a ligação dos fios sobressaindo de um lado. Coloque então outro pedaço de papel vegetal e o segundo papel alumínio com a aba virada para a outra extremidade sobre o papel vegetal. Por fim, coloque mais um pedaço de papel vegetal sobre os demais. Este é o nosso capacitor de grade.
Verificar que as bordas de uma das folhas de alumínio não esteja em curto com as bordas da outra folha de alumínio.
Pregar com tachinhas ( encontradas em sapateiro ) nos quatro cantos, um pequeno pedaço de madeira um pouco maior que o capacitor ( madeira esta, retirado de uma caixa de charutos ). Cuidado para não colocar em curto as lâminas de alumínio quando fixar as tachinhas.
Use este mesmo procedimento para construir o capacitor do fone, usando duas placas de papel alumínio para um lado e duas placas para outro alternadamente conforme a montagem anterior. Observar que o capacitor do fone possui maior capacidade.

Resistência de Escape de Grade
Agora vamos tentar resolver a montagem da resistência de escape de grade que nada mais é que um caminho de alta impedância à circulação de corrente ( resistência de valor elevado ) próximo ao capacitor de grade.
Com um pedaço de madeira da caixa de charutos medindo 4 cm X 2 cm, vamos escurecer com um lápis macio, riscando levemente a madeira de um extremo a outro até que tenhamos um depósito de grafite impregnado na madeira. Fixe levemente nosso resistor sobre a base de madeira conforme mostra a Fig. "1" usando dois parafusos de metal com arruelas porem sem apertá-los ( vamos ter que ligar os fios nestes parafusos mais tarde ).

Fig. 2
radio12.jpg
A figura "2A" mostra o formato e as dimenões da placa dos capacitores fixos ( construidos com folha de papel alumínio), detalhes para a construção do soquete da válvula em "2B", e o resistor de filamento em "2C".

UMA NOVIDADE EM SOQUETE DE VÁLVULAS

O soquete da válvula consiste de 4 furos (não atravessar a madeira) feitos na base de madeira conforme indicado na Fig. 2b. Dois furos ( filamentos ) são ligeiramente maiores que os outros dois. Você pode usar a sua válvula como molde para marcar os pontos onde deve-se fazer os furos. Usar brocas de 1/8 para os furos maiores e 1/16 para os furos menores.
O contato com os pinos da válvula é feito com arame de clips de papel comum, dobrados de modo que a parte menor faça uma mola para dar contato com os pinos da válvula. Fixar os grampos conforme mostra a figura 2b usando parafusos de latão para madeira, porem não aperte ainda pois iremos fazer a ligação dos fios mais tarde. Concluída esta etapa, temos nosso soquete pronto.
Agora vamos montar o capacitor de sintonia

O capacitor variável, se feito com cuidado, funcionará facilmente e bem.
Corte um pedaço retangular de lata de cobre, de latão ou de alumínio bem plana, com 6,35 cm X 11,5 cm com uma aba de 1,5 cm no centro de uma extremidade. Retire todos os fiapos e rebarbas das bordas com lima ou lixa, deixando-as bem lisas.
Faça um furo no centro da aba para colocar um parafuso. Parafuse a placa através da aba com um pouco de cola por baixo espalhada em toda a sua superfície, juntamente com um pedaço de fio de 15 cm no local indicado na base de madeira conforme a Fig. "1" , ( será a placa fixa de nosso capacitor variável )
tuning condensor detail
Corte outra placa, lisa e plana, do mesmo material que a placa anterior, com aproximadamente 7 cm X 11,5 cm ( deixar uma aba de 1,5 cm em uma das extremidades para ligação dos fios. Faça um furo no centro da aba e parafuse uma rolha de cortiça junto com um fio bem flexível de aproximadamente 30 cm.
Para a montagem de nosso capacitor variável, vamos precisar de dois pedaços de cartolina ( caixa de sapato ou papel cartão ). Um dos pedaços da cartolina irá servir de espaçador entre a placa fixa e a móvel, o outro pedaço será colado à placa móvel, do lado externo.
Conforme pode ser visto nos desenhos, a placa fixa está colada na base de madeira. Sobre esta placa, vamos colocar o espaçador de cartolina cobrindo toda a superfície da placa fixa.
Com auxílio de duas tiras de madeira de 1 cm X 10 cm, montar as guias laterais para auxiliar a movimentação uniforme da placa móvel.
Usando um outro pedaço de madeira com aproximadamente 1 cm X 10 cm, fixado na base de nosso rádio com dois parafusos ( apertar ou afrouxar estes dois parafusos para dar movimento suave na placa superior ), manteremos a placa superior de encontro à placa inferior com a cartolina entre as mesmas conforme mostra a fig. abaixo.

radio13.gif

ENROLANDO A BOBINA

Nesta etapa, vamos abordar a montagem da bobina do nosso rádio, o qual é composta de 3 circuitos, e novamente, muito fácil de construir se fizermos uma por vez. Comece com um tubo de 65 mm ( 2"1/2 ) de diâmetro com aproximadamente 10 cm de comprimento ( pode ser qualquer forma de bobina de papelão, p\ ex. de bobina de tecido no tapeceiro da sua cidade etç. ). Para evitar que o enrolamento desmanche próximo ao ponto onde você inicia e termina a bobina, faça dois furinhos de diâmetro um pouco maior que o fio utilizado.
Passe o fio do enrolamento por um furo e retorne pelo outro, evitando que a bobina se desfaça.
Inicie o enrolamento a partir do fundo, deixando um espaçamento de 2 cm a partir da borda do tubo. Enrole 30 espiras juntas de fio isolado no 28 ( algodão, seda ou esmalte ). Esta será a bobina L1 de antena. Caso vç não tenha o fio 28 AWG, usar uma medida próxima. Ponha pequenos pedaços de fita crepe ou durex em cada terminal, marcando quem é quem, de modo que quando for montar a bobina no circuito, você não tenha dificuldade com as conexões incorretas. Deixe um espaçamento de aproximadamente 3 mm. Enrole mais 60 espiras. Não corte o fio neste ponto. Deixe um espaço vago ( sem enrolamento ) de aproximadamente 0,7 cm e continue enrolando mais 30 voltas. Para facilitar o trabalho, pode-se fazer os furinhos no tubo antes e depois do espaço de 0,7 cm, evitando que o enrolamento desmanche. Esta será a bobina L2 ( enrolamento secundário de antena ). Marque os dois extremos dos fios de L2 para futura identificação. Faça um furo de um lado a outro na forma da bobina, exatamente no espaço de 0,7 mm deixado entre a espira 60 e 61, para passar um eixo de aproximadamente 5mm.

radio14.gif

Bobina de realimentação L3 ( bobina "tickler").

Cortar um pedaço de tubo de 38 mm ( 1"1/2 ) com aproximadamente 3,5 cm de comprimento de tal forma que o mesmo possa girar livremente dentro da forma de L1. No meio desse tubo, fazer um furo para passar um fio de cobre de 5mm ( será o eixo da bobina móvel ) com 12 cm de comprimento.
Este eixo passará no furo que deveremos fazer no espaço livre entre as espiras 60 e 61 de L2.
tickler detail

Observar que não estou mencionando os diâmetros dos furos pois cada montador pode conseguir eixos com diâmetros diferentes. Faça os furos nas formas das bobinas de acordo com o diâmetro do eixo empregado.
Nesta fôrma de 1" 1/2, enrolar 40 espiras de fio 28, deixando um espaço de 0,7 cm entre as espiras 20 e 21. Após prender os terminais do enrolamento nos furinhos no início e no final do núcleo, interligue-os com fio flexível ( p\ex. fio do cone de alto-falantes ).
Faça a montagem mecânica das bobinas orientando-se pelas imagens, usando arruelas como espaçadores para manter a bobina móvel centrada dentro do núcleo de L1/L2. Colar o núcleo da bobina móvel no eixo de ajuste. Nesta parte da montagem, você terá que trabalhar com sua criatividade para solucionar os diversos ajustes mecânicos fazendo com que a movimentação seja suave e livre de enroscos. Observar que a bobina móvel é montada quase no topo da forma de L1/L2 e seus fios saem por cima.

A blindagem frontal das bobinas é feito com qualquer pedaço de chapa um pouco mais largo e mais alto que as dimensões da forma de L1/L2, não se esquecendo de fazer duas abas para fixação na base de madeira e o furo para a passagem do eixo de ajuste de L3. Parafusar a chapa de blindagem distante 5 mm da forma. O botão de sintonia pode ser outro pedaço de rolha previamente furado no centro e colado no eixo de sintonia.

radio15.gif

Fazendo as conexões

Mais um item e estaremos prontos para iniciar a fiação de nosso rádio.
Com auxílio de um carretel de linha vazio, enrolar 11 metros de fio esmaltado 36 AWG, passando suas pontas por furinhos feitos anteriormente nas abas do carretel. Este será nosso resistor de filamento conforme pode ser visto na Fig. 4 o qual reduzirá a tensão de 3 volts de nossas pilhas para 2 volts que é a tensão de filamento da válvula 30. Caso voce use uma válvula com tensão diferente da sugerida neste artigo, voce terá que fazer as devidas adaptações da tensão de filamento. Com um parafuso comprido para madeira, fixar o carretel de acordo com a nossa planta.(Veja fig. 2C).

Fig. 3

radio16.gif

Schematic diagram

Se você montou todos os componentes com sobra nos terminais de conexão conforme recomendado, não terá dificuldades em proceder às ligações.
Inicie por L1, ligando o fio do seu extremo inferior no ponto marcado GND ( Terra ). O outro fio de L1 será ligado no ponto marcado Ant. ( antena ). O fio do topo de L2 será ligado :

radio17.gif

COMO OPERAR NOSSO RÁDIO

Conecte duas pilhas de 1,5 volts em série ( isto é, com o " + " de uma pilha conectado ao " — " da segunda pilha) para os pontos" A + " e " B — " (a conexão central de uma pilha é positiva).
Conecte uma bateria de telefone de 45 volts nos terminais marcados com " B + " e " B - ".
Agora tudo o que você tem a fazer é lentamente girar a bobina tickler e mover o condensador variável ao mesmo tempo. Há um leve estalo quando a bobina tickler entra em " oscilação ". Esta é a posição mais sensível. Com um pouco de prática voce conseguirá ajustar seu rádio facilmente.
Use uma borracha de lápis para apagar parte do grafite do resistor "gridleak", um pouco de cada vez, até que o tickler trabalhe suavemente e as estações sejam captadas com som mais alto.
E lá está você recebendo estações em um rádio de sua construção! Boa Sorte!
1. na aba do estator ( STA ) parte fixa do capacitor variável,
2. no resistor de escape de grade e
3. no capacitor de grade ( usar a aba do papel alumínio para enroloar o fio )

O fio da parte de baixo de L2 será ligado no Rotor ( ROT ) do capacitor variável e no ponto "F" que corresponde a um dos pinos de filamento da válvula assim como um dos terminais do resistor de filamento. Enrolar o fio de conexão nos parafusos com uma arruela para melhor contato.
Um dos fios da bobina móvel L3, será ligado no borne do "PHONE" e ao capacitor de passagem ( By Pass ou desacoplamento ). O outro terminal de L3 será ligado à placa da válvula, ponto "P". O outro lado do resistor de filamento ( nosso carretel de linha ) será ligado no ponto "A+". Ligue um fio do terminal negativo da bateria de 45 volts, ponto "B _" o outro lado do capacitor de passagem ( By Pass ou desacoplamento ) terminando no ponto "A+" juntamente com o outro terminal do resistor de filamento. Ligar um fio do pino "G" que corresponde à grade da válvula ao capacitor e resistor de escape de grade. O Outro terminal do filamento da válvula será ligado no terminal "A_".

VÁLVULA

A válvula empregada nesta montagem é a 30
( disponível usada na Antique Electronic Supply por $7,35).

Outra válvula ( similar à 30 ) que pode ser usada é a 1H4,
( à venda nova na Antique Electronic Supply por $5,05).

O Fone de ouvido pode ser qualquer um com impedância acima de 1000 ohms
( também encontrado na Antique Electronic Supply por $15,25)

As 2 pilhas para o filamento da válvula podem ser convencional para lanterna
A bateria de telefone " 45 volts " voce pode fazer com 5 pilhas de 9 volts comum ou recarregáveis, ou se preferir, adquirir a original na Antique Electronic Supply.

Caso necessitem, posso enviar os catálogos com fotos e milhares de peças à venda para rádios antigos da:
ANTIQUE ELECTRONICS SUPPLY - USA - Catálogo 2000
ELECTRON TUBE ENTERPRISES - USA - Catálogo 2000
Envie e-mail solicitando detalhes para remessa.

Créditos:
Radio Craft Magazine Março de 1935
Adaptação para o Português do original em Inglês no endereço:
http://www.ezlink.com/~crash/parks/1distget.html

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License